sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Juros do crédito à habitação voltam a cair em novembro

"A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação situou-se em 1,032% em novembro (1,038% em outubro)." Com uma simples frase, o Instituto Nacional de Estatística confirmou as boas notícias que muitos portugueses já sentem na carteira e que têm sido uma constante desde o primeiro trimestre de 2014. 

Os cortes sucessivos nas taxas de juro do BCE permitem à banca financiar-se a preços historicamente baixos e com as Euribor em taxas negativas ou muito próximas do zero, os contratos de crédito à habitação ficam mais baratos para os clientes quase todos os meses. 

Desta vez, a queda foi de 0,006 pontos percentuais, uma revisão média que não ainda assim suficiente para alterar o valor das prestações: "A prestação média vencida para a globalidade dos contratos foi 237 euros, pelo terceiro mês consecutivo". 

No boletim estatístico divulgado pelo INE pode ver-se que o alívio das taxas de juro apenas não existiu nos contratos celebrados nos últimos três meses, registando até um aumento das prestações médias para os empréstimos mais recentes dos 298 euros de outubro para os 306 euros de novembro. 

Finalmente, há também uma boa notícia nos valores em dívida: "O montante de capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação diminuiu 41 euros em novembro, para 51 597 euros".
 
Fonte: Noticias ao Minuto

Sem comentários:

Publicar um comentário