sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Home staging: Queres ter filhos felizes? A decoração pode ajudar-te (e ensinamos-te como...)

Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atractivas é o objectivo da rubrica quinzenal do idealista News Portugal, assegurada pela Home Staging Factory.
Queres decorar o quarto do teu filho e não sabes como? Esta semana vamos dedicar-nos ao público infantil e desafiar a sua imaginação fértil!
Na verdade, a decoração não é mais que o ato de organizar um espaço combinando diversos elementos de forma harmoniosa e funcional, de acordo com o fim a que o espaço se destina.
Quando pensamos em crianças lembramo-nos de brincadeiras, criatividade, interatividade, espontaneidade, alegria, curiosidade.
As crianças gostam acima de tudo de mexer, experimentar, criar. E os adultos mais que matar a curiosidade e a imaginação infantil, como muitas vezes acontece, devem valorizar e incentivar esta competência, ainda que por vezes isso represente trabalhos acrescidos! 
Sim, reconhecemos que deixar a criança pintar as paredes, virar o quarto ao contrário ou montar a tenda na sala pode complicar o fim do dia. Mas também sabemos que as crianças que não têm oportunidade de brincar nem de experimentar transformam-se em adultos mais amorfos, sem auto-confiança, sem espírito de iniciativa e sem criatividade.
Por isso, e para que as crianças e os adultos sejam mais felizes, vamosajudar a preparar o terreno para que as crianças possam dar largas à sua imaginação fértil no seu próprio quarto!
Primeiro temos que pensar nos hábitos, gostos e personalidade da criança. O que gosta de fazer? O que a desperta? Que medos tem? Que competências precisa mais de desenvolver? Precisa de muita cor ou já é suficientemente colorida e deve ter um ambiente mais neutro?
Dependendo da idade podes até começar por fazer este trabalho com a criança. Pergunta-lhe: como imaginas o teu quarto? Faz um desenho do teu quarto ideal.
Depois há algumas linhas orientadoras que é preciso ter em atenção, como o tamanho do quarto, o investimento que se quer fazer e adurabilidade das soluções. Deve-se arranjar soluções que se possam ir alterando à medida que a criança cresce sem que seja necessário mudar tudo ou fazer um grande investimento.
É preciso pensar ainda nas várias funções do quarto e de como podemos de forma coerente e funcional criar diferentes ambientes que sirvam os diferentes objectivos. 
1- Polivalente
O quarto da criança por norma deve ser um espaço polivalente que seja ao mesmo tempo o seu espaço de descanso, brincadeira ou de “trabalho”. Deve por isso contemplar espaços distintos ou soluções flexíveis adaptadas a várias funcionalidades.
É importante ter um recanto dedicado ao descanso, ao sono, ao ócio, à leitura. Um espaço que convide à tranquilidade e evasão. É o espaço para dormir e para sonhar.
Por outro lado, é sempre útil ter uma mesa de trabalho para dar asas à imaginação nas artes plásticas, pinturas, colagens, bricolage, trabalhos da escola, etc.
2 – Parque de Diversões interativo e desafiante
As crianças são por natureza curiosas e gostam de desafios. Não querem ter um quarto montra onde nada se possa mexer ou já esteja tudo criado.
Devemos pensar no espaço como um “parque de diversões” que dê liberdade de expressão física e mental à criança. 
Criar soluções que permitam à criança brincar às escondidas, pintar as paredes (quem não gosta?), fazer escalada ou recriar a sua própria história. E há soluções simples e baratas que fazem as delícias dos mais novos. Podes por exemplo arranjar uma moldura grande e em vez do quadro do menino da lágrima pões uma tela em branco para que o teu filho possa fazer de Picasso.
Também podes forrar uma das paredes do quarto com peças de escalada ou pendurar um baloiço no teto.
3 – Personalização
Somos a favor da personalização. A criança deve ter espaço e liberdade para poder decorar e personalizar o seu próprio quarto. Deve ter espaço para criar e recriar, decorar as paredes, mudar a decoração em último caso (claro que dentro de alguns parâmetros). Uma ideia simples é ter criar um mural para a criança personalizar – pode ser uma ardósia ou uma parede forrada a cortiça.
4 – Refúgio
Todas as crianças têm necessidade de ter o seu refúgio, o seu esconderijo. É importante que o seu quarto ou parte do quarto funcione como tal e que os adultos respeitem esse espaço. Também há soluções interessantes e fáceis de implementar que as crianças adoram, como por exemplo montar uma tenda ou aproveitar um caixote grande para fazer a “casa de brincar”.
5 – Facilidade de arrumação / Funcionalidade
Um item muito importante não só para os pais, mas também para as crianças! Os quartos devem ter soluções que permitam rápida e facilmente arrumar tudo no seu lugar e transformar o ambiente de brincadeira para ambiente de trabalho ou de dormir num ápice! Caixas para organizar e arrumar os brinquedos e gavetas e prateleiras à altura das crianças para que estas possam aprender a arrumar é fundamental.
6 – Conforto e segurança
É essencial que os quartos infantis sejam confortáveis e onde a criança se sinta e esteja segura. 
É importante ter em atenção os materiais utilizados e algumas regras de segurança para que o seu filho não esteja em perigo mas também não devemos super proteger!
No caso de fazer uma parede de escalada há que ter em atenção a idade da criança e a altura da parede. Por exemplo, opte por mobiliário funcional, lavável, sem tampos de vidro.
Almofadas e mantas tornam o ambiente mais aconchegante e cómodo, sendo ao mesmo tempo elementos que podem ser utilizados para brincar.
Acima de tudo é preciso bom senso e pensar no espaço como o ambiente da criança. Não deve ser um espaço decorado à imagem dos pais ou dos seus desejos mas sim um espaço que proporcione à criança o melhor ambiente para que ela viva o seu mundo de fantasia.
fonte : idealista news

Sem comentários:

Publicar um comentário