sexta-feira, 11 de março de 2016

BCE reforça poder da bazuca para estimular economia: quais os efeitos para as empresas, famílias e Estado?


Banco Central Europeu (BCE) está em estado de alerta total no combate à deflação na Zona Euro. Esta quinta-feira, Mario Draghi veio anunciar um aumento da força da "bazuca" de estímulos à economia, com seis novas medidas. Mas os investidores desconfiam da eficácia do novo plano e os mercados reagiram negativamente.
O BCE vai reforçar as compras de dívida pública, mas também abre a porta à dívida das cotadas e, por outro lado, as empresas e as famílias vão ter financiamento mais barato, uma vez que a instituição decidiu baixar a taxa de juro diretora para um novo mínimo histórico de 0% - estava em 0,05% desde setembro de 2014. Isto significa que o BCE não vai cobrar dinheiro aos bancos para se financiarem diretamente através do regulador.
ESTADO
Mario Draghi, tal como resume o Jornal de Negócios, surpreendeu com um conjunto de estímulos mais ousado do que o previsto. A compra de mais 20 mil milhões de euros em ativos por mês será a medida mais que beneficia Portugal. Isto porque, segundo as contas do diário, isto poderá traduzir um aumento das compras de dívida portuguesa de até 400 milhões por mês. 
EMPRESAS
Além de ativos do sector público, o BCE passará a comprar também obrigações de empresas da Zona Euro. Mas não de todas, tal como indica o jornal. À semelhança do que passa com a dívida soberana, também nestes títulos a autoridade monetária limita as compras a títulos com notação financeira que não seja "lixo". Desta forma, apenas três cotadas portuguesas poderão ver a sua dívida ser adquirida por Mario Draghi.
FAMÍLIAS
O grande foco das novas medidas anunciadas são os bancos, que ficam responsáveis por transmitir o dinheiro barato para a economia, especialmente financiando as empresas com juros cada vez menores. Isto acabará por beneficiar as famílias, nomeadamente pela redução dos encargos com os empréstimos contraídos. Desta forma, ficam com maior rendimento disponível para consumir e injetar dinheiro na economia. 
INVESTIDORES
O BCE apresentou um pacote de estímulos que surpreendeu os investidores, levando a fortes quedas no euro e nos juros da dívida soberana da região, segundo diz o Negócios.
in: Idealista News

Sem comentários:

Publicar um comentário